Assuntos de Goiás TV

quinta-feira, 21 de junho de 2012

Ex-Alcolátra Cicinho é do Sport @Reinaldo_Cruz @Goias_EC @Assuntosdegoias @QBTV2 @Qb_7 @CNN_BR @R49_


A diretoria do Sport anunciou a contratação do lateral Cicinho, que teve passagens pelo São Paulo, Roma-ITA, Real Madrid-ESP e Seleção. O jogador, que já se encontra no Recife, chega para cumprir a promessa do presidente do clube, Gustavo Dubeux, de que contrataria um atleta que deveria ser 'recepcionado pela torcida no aeroporto'. O contrato de Cicinho, que estava no Villareal-ESP, será de um ano e ele será apresentado oficialmente nesta sexta-feira à tarde.
- O Cicinho tem um currículo espetacular e é um jogador que está com muita vontade de jogar e de mostrar seu futebol. Foi uma negociação tranquila, que já vinha ocorrendo há alguns dias. Ele chega a pedido de Mancini e até antes do jogo nós iremos anunciar outro reforço - informou Gustavo Dubeux, referindo-se à partida contra o Internacional neste domingo, às 18h30m, na Ilha do Retiro.
No currículo, Cicinho tem o Campeonato Paulista (2005), Copa Libertadores da América (2005) Mundial de Clubes da FIFA (2005) - todos pelo São Paulo; Copa das Confederações (2005) - pela Seleção; Campeonato Espanhol (2006-07) - pelo Real Madrid e Copa da Itália (2007-08) - pelo Roma.
O novo lateral do Sport começou no futebol no Botafogo-SP em 1999. Ele também passou pelo Atlético-MG e Botafogo, mas foi no São Paulo que ganhou destaque a ponto de merecer ser convocado para defender a Seleção. Na Copa de 2006, quando o Brasil foi desclassificado pela França nas quartas-de-final, ele foi o reserva de Cafu e teve a oportunidade de atuar na partida da eliminação e na primeira fase, contra o Japão.

Justiça mantém Cachoeira preso @Reinaldo_Cruz @Goias_EC @Assuntosdegoias @QBTV2 @Qb_7 @CNN_BR @R49_

A Segunda Turma Criminal do Tribunal de Justiça do Distrito Federal (TJ-DF) negou por unanimidade (três votos a zero) a libertação do bicheiro Carlos Augusto de Almeida Ramos, o Carlinhos Cachoeira, preso em fevereiro pela Polícia Federale apontado como chefe de uma quadrilha que explorava o jogo ilegal em Goiás.
O pedido de soltura julgado nesta quinta pelo TJ-DF se refere à Operação Saint-Michel, da Polícia Civil do Distrito Federal, realizada em abril e que apurou a tentativa de fraude em licitação no sistema de bilhetagem do transporte público.
Cachoeira foi denunciado em maio pelo Ministério Público do DF por formação de quadrilha e tráfico de influência.
O relator José Carlos Souza e Ávila votou para que Cachoeira continue preso. Para ele, "a influência do grupo denunciado impressiona."
"São fatos complexos pelo enorme envolvimento de agentes públicos de diversas cidades. [...] Pede-se a cautela do Poder Judiciário a fim de evitar que a soltura precipitada prejudique o processo", disse Ávila.
O relator afirmou que, com a soltura, haveria "sério risco de os ilícitos serem retomados".
Após o desembargador Roberval Belinati afirmar que acompanharia o voto do relator, a mulher de Cachoeira, Andressa Mendonça, deixou a sessão da Segunda Turma Criminal do TJ-DF.


Loading...

Seguidores